PROJETOS | CARAVANA ALMANAQUE 3

por Lucas van Hombeeck

Bravo!, por que não temos mais cronistas como este?

Playboy, Bomba! ela vai casar.

Crônica, substantivo feminino.

8. espécie de biografia falada e ger. escandalosa.
2. ext. hist lit representação genealógica de uma família tida por nobre.

Ele é teu filho?
Vocês estão se errando há muito tempo, ele está em todas.

O café mais o varejo são três. Essa fralda tá diferente, diferenciada.

Todos falam. A crônica possui assim uma finalidade utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim, no transcurso dos dias ou das semanas, uma familiaridade entre o escritor e aqueles que o leem.

Hélio Oiticica. Experimentar o experimental: a oficina, não a poesia; as relações.

A palavra deriva do Latim chronica que significava, no início do Cristianismo, o relato de acontecimentos em sua ordem temporal (cronológica). Era, portanto, um registro cronológico de eventos.

Vamos começar pelos mais novos.

1. por Augusto Melo Brandão.  Um projeto revolucionário poético almanáquico oficinesco, para derrubada do sistema por meio de ações anárquicas individuais ou coletivas, de enfoque pedagógico e sem aprovação do MEC [foto de um livro didático]. A organização deve se reunir todas as sextas ao longo de três meses, até a execução do objetivo final: dinamitar a ilha de manhattan.

2. por Frederico Klumb.

Sobre a mesa há: já não me recordo com exatidão
o que havia sobre a mesa. Pilhagem. Não há dúvida,
é pilhagem.

3. Para escrever um manifesto. Até o fim do mês um manifesto.

Então eram bichos da Lygia Clark bichos na camiseta, um jacaré pode ser vermelho se for do Zoé, O poema se ensina, se faz com a mão; Ela abre mão do turno, não fala em turnos, não participo de certames. Há que ser incisivo. Uma panela aberta à frequência, ferramenta fala franca; O exercício de poder com autoridade, um poemanifesto des-gênerado, A socialização dos meios de produção literária. Animal político diz não faremos a revolução com seis cabeças, só um pagode já assinam dezoito, fazer um poema que seja hit de FM. Eu vi coletivos que se apaixonaram por si mesmos em liberdade cética, la libertad total no existe, saber de onde falamos mais que para quem; A poesia de Marquito não é a do Antônio Cícero. A Gávea não determina, é preciso chegar à Gávea e desmontar até o cânone, ele não está em Bangu ele não está no Méier; O livro, essa tecnologia tão antiga. Todas as possibilidades é um outro, é um tipo de inferno, agora entra e prova das amoras pretas que Ana trouxe. Vem. Até o fim do mês escreveremos um manifesto em tinta doce.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s